segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Confissões de uma mãe com problemas de audição

Faltam só 10 dias para completar o seu primeiro aninho, e a toda hora fico olhando para aquela carinha sapeca e lembrando dos vários momentos gostosos que passamos juntinhos neste ano! Pois é, já temos 355 dias juntos e ainda tenho que aprender várias coisinhas.

Dizem que a mãe não confunde o seu bebê de forma alguma, conhece de longe o seu jeitinho o seu cheiro, os seus contornos, ou seja cada detalhe da sua cria... Será? Então por que é que até hoje eu me confundo com o seu choro? 


Vou explicar melhor: Quando estamos na casa da vovó Vanete e o vizinho que mora no andar de cima chora lá vou eu correndo para ver se aconteceu algo com o José Guilherme, achando que é ele que está chorando. O mesmo acontece quando é o vizinho que mora ao lado, ou então o que mora próximo da nossa casa, ou então quando é alguma criança que passa na rua. Não importa a idade da criança, basta chorar que lá vou eu ver se é o José Guilherme que está chorando. 

Mas vocês podem dizer que isso é normal, as vezes a gente se confunde mesmo... porém eu vou além: Tem alguns gatos na vizinhança que em algumas noites fazem aquela sinfonia então já acordo assustada achando que é o menininho que está chorando, daí até perceber que são os gatos... lá se foram minutos preciosos do meu soninho. 

Mas você ainda pode dizer que realmente o miado, uivo, sei lá o nome que dá pra aquela cantoria toda dos gatos, parece mesmo com o choro de um bebê, ainda mais quando estamos dormindo, podemos confundir, etc... mas aí vem a gota d'agua: O galo da vizinha, cantando na madrugada... aí acordo assustada, achando que é o José Guilherme que acordou e está chorando. E mais, está chorando por que está com dor de garganta já que o choro está rouco! É que o galo da vizinha é rouco, então o seu cacarejo é rouquinho! (rsrs)

Diante do desabafo, testemunho, confissão, sei lá o quê pergunto:

Será que sou uma mãe normal????? rsrsrsrsrs

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Na pratica a teoria é outra!!!

Antes de ser mãe era cheia de teorias. Aí engravidei e as teorias só foram aumentando e aumentando afinal, devorei livros, revistas, blogs, etc... sobre educação, alimentação, vestimenta, organização... relacionado a bebês e infancias e ai... o bebê nasceu e comecei a perceber que muitas vezes na realidade a teoria é outra!! (que as professoras de Serviço Social não me ouçam falar isso! kkkkk). Não que a teoria não valha de nada, tem me ajudado muito e muito no dia a dia, mas muitas coisas que a gente idealiza cai por terra quando a gente entra em contato com um serzinho que não vem com manual de instruções!!

Primeiro, foi a amamentação. Fiz três cursos de gestantes, todos ensinaram como cuidar bem dos seios para não ter nenhum problema (que segui à risca) e falaram dos benefícios e da beleza da amamentação, aí... vieram as fissuras, os fungos, as mastites... mas no final, o saldo foi positivo!

Depois, que eu iria cuidar de tudo sozinha... aí a minha casa começou a virar aquela zona!!!

É claro que o meu filho só terá uma alimentação extremamente. Açúcar? Só depois de um aninho ou mais... e aí me ví oferecendo o seu primeiro danoninho... e depois o biscoito de maizena e a geléia de mocotó - ainda bem que parei por aqui... mas ainda tenho minhas dúvidas de o vovô não deu mesmo nenhum pirulito pro menininho. Tem também aquelas papinhas prontas que convenhamos tem um gosto não muito agradável, que é claro que é um absurdo uma criança se alimentar com aquilo. Mas bastou um passeio mais longo, onde teria que fazer a mala bolsa de comida pro neném que lá vai eu colocando essas papinhas, afinal não irão azedar! rsrs

Tirar os meus objetos de lugar? Nem pensar! O bebê terá que aprender a conviver com eles! E... o menininho começou a engatinhar! E lá vai eu travar porta de remédios, tirar os enfeites que quebram, claro que são só os da sala, pois até ele aprender a engatinhar por todos os cômodos ele já sabe o que significa a palavra "não" e irá me obedecer (quem?)!

Então hoje o ferreiro instalou o portão de ferro no alto da escada - pro menino não se estabacar lá em baixo; a minha única plantinha (que pra variar é venenosa) que conseguiu sobreviver em casa será doada para alguém sem filhos; as gavetas estão todas com algum paninho do lado de fora pra "apertar" e ficar difícil de abrir... e isso é por que o danadinho ainda não aprendeu a andar!!!

Outra teoria era: "Até parece que eu vou mudar a minha rotina. O bebê tem que aprender a conviver com o nosso ritmo e blá, blá, blá, blá..." Mas bastou ver aquele rostinho gostoso dormindo o soninho mais fofo do mundo que a minha movimentada vida noturna  sumiu. Agora, quem quiser me chamar para aquele barzinho badalado irei com o maior prazer, mas é claro que será antes das 20 horas, pois depois desse horário o menininho apaga e eu não tenho coragem de deixá-lo morrendo de sono só para me divertir! É claro que também não sou tão caxias, as vezes damos aquele passeiozinho, mas quando a gente percebe que o neném está incomodado, arrumamos as trouxas e picamos a mula! (Prometo que terei coragem de deixá-lo dormindo na casa da vovó é só uma questão de tempo para EU me acostumar).

Itaúnas: "É claro que não deixarei de ir, afinal... é o meu cantinho"  e... a minha sogra acabou de me ligar perguntando se eu já fiz a reserva de alguma pousada de lá para o carnaval e mais uma vez... pesou as necessidades do meu gostosuro... afinal, o que eu vou fazer com um bebê branquelo numa praia que só de caminhada pra chegar até ela já esgotou o prazo limite de sol diário que ele pode tomar, onde só terá areia pra ele engatinhar e machucar o seu joelho,  e convenhamos, dançar aquele forrozinho agarradinho em plena madrugada com um bebê a tiracolo não rola, então, iremos passar o carnaval por aqui mesmo curtindo as brincadeiras gostosas, as praias no amanhecer e o banho de bacia com o gostosuro ou então iremos a um lugar em que o meu bebê ficará mais confortável. 

Ou seja queridas professoras de Serviço Social que não abominavam essa frase durante as aulas de teoria, pode até ser que na profissão seja verdade, mas se referindo a maternidade: "na prática a teoria é outra"!!!!


quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Onze meses!


Nossa, parece que foi ontem que eu vi a carinha desse menino pela primeira vez! Extremamente branquelinho, grande e chorão... e agora, meu menininho já está completando onze meses de muita gostosura e muita curiosidade.

Pois é, agora a palavra de ordem agora é: CURIOSIDADE, o mundo é o seu limite, esse menininho não pára um segundo sequer!

Engatinhando pela casa toda!

Durante este mês ele deu um salto no desenvolvimento incrível: O seu engatinhar tornou-se muito mais rápido e preciso; não pode ver um buraquinho no chão que já enfia o dedinho pra ver o que tem dentro; adora abrir gavetas, enfiar o dedo no ventilador (socorro!); quer digitar o computador, levanta-se nos móveis para pegar o que tem em cima. Também adora ver revistas e livros, fica foleando e falando o seu bebês (é claro que está lendo tudinho), algumas vezes acidentalmente acaba rasgando uma, ou duas, ou todas as páginas, mas jura que foi “sem querer”!


Quanto a fala, também desenvolveu bastante o seu vocabulário: agora além do seu amigo “au-au”, ele também aprendeu a falar “co-có” (referindo-se às galinhas do vizinho) e “apo” que pode significar tanto sapo, quanto água, ou seja, o reino animal tem recebido bastante atenção dele, quanto a sua mamãe e papai... rsrs, se bem que, quando quer mamar bem que ele solta alguns babucios que lembram mã-mã, mã-mã!

Já o seu corpinho também já merece um destaque: ele já sabe onde fica a cabeça, o nariz, a boca, a orelha e o piu-piu, quando a gente pegunta “Cadê a cabecinha do neném?” ele coloca a mãozinha indicando que sabe onde está, e assim com as outras partes do corpo citada. Também adora música e faz a coreografia do “Pintinho Amarelinho” e o do “Sapo que mora na lagoa”. Adora assistir ao DVD do grupo “Palavra Cantada” e da “Galinha Pintadinha”.

Aniversário da amiguinha Maytê
A sua socialização também vem aumentando a cada dia: Já dá tchauzinho, joga beijo, abraça a mamãe, dá beijo (e morde em seguida), bate palmas para mostrar satisfação, quer chamar a atenção dos que estão ao seu redor... Vai a festas e se diverte bastante, como no aniversário da amiguinha Maytê.  Brincando com os seus coleguinhas, visinhos da vovó Davi e João Vítor, não bate nem morde. Divide pacificamente os brinquedinhos, comida, sujeira, etc...

Viu quanta coisa esse menininho de 76 cm e 10.875kg já sabe fazer? E é claro que ainda tem muitas e muitas e muitas descobertas pela frente!!!

Parabéns gostosuro da mamãe, eu te amo muito muito!!!!