sábado, 26 de novembro de 2011

Relatos de uma mãe dependente...

O José Guilherme está cada dia crescendo mais e se tornando mais independente, na medida que EU me torno totalmente dependente do menininho.

Dias atrás tive que trabalhar à noite, porém havia me programado para chegar no horário de colocá-lo na cama, já que ele SÓ dorme à noite se mamar. Foi quando me atrasei e o papai explicou ao rebento que eles iriam dormir sozinhos, pois a mamãe estava trabalhando.

Não é que o moleque simplesmente virou para o lado no berço e dormiu feito um anjo! COMO ASSIM??!! Pois é, não precisou de mim para dormir!!!


Aí chegou o segundo desafio da minha vida do meu lindinho...

Fui eleita delegada para a I Conferência Estadual de Trabalho e Emprego Decente e para participar teria que passar dois, isso mesmo, DOIS dias fora. E para complicar ainda mais a situação, o papai também foi eleito e teria que participar do evento. Diante desse problema vem a pergunta:

E agora, o que fazer?

OPÇÃO 1: Leva-lo junto. Não tem como, afinal é uma rotina muito estressante para um menininho de 1 ano e 8 meses que não para quietinho...

OPÇÃO 2: Passar o dia e voltar para casa à noite. Até que daria, mas aí perderíamos a oportunidade de participar de todas as "articulações" do evento.

OPÇÃO 3: Deixar o rebento na casa da vovó. Ele adora a vovó, tem o quartinho dele lá, está acostumado a passar o dia com ela, mas nunca dormiu à noite lá. E ficar sem a minha presença durante uma noite interinha pode acarretar numa explosão de pulmão de tanto gritar pela mamãe, afinal, é claro, ele não vive sem mim!!!


A opção escolhida foi a terceira, mas deixei tudo preparado para que um simples telefonema da vovó eu sairia correndo do evento ao encontro do meu lindinho...

Aí cheguei ao evento, passou o período da tarde e nada da vovó ligar. Melhor conferir o telefone pois pode estar fora de área ou então ele está dando tanto trabalho que a vovó não consegue nem chegar perto do telefone. Liguei e lá estava ele lindo e sorridente, até conversou comigo pelo telefone: "Papou tudo neném..." ...

Bom, mas à noite ele não vai conseguir dormir, é óbvio! Mas a mamãe não queria me incomodar, por isso estava tentando convencer o menino a dormir sem sua maezinha amada. Melhor eu ligar para conferir. Liguei às 21 horas e esperava ouvir o choro do menino saudoso e tudo o que ouvi foi: Alô e um SILÊNCIO ao fundo... Olá mãe, e o José Guilherme? - Já dormiu faz tempo... Como assim? Pois é... ele dormiu sem reclamar!!!


Mas ainda fiquei esperando por um telefonema na madrugada (apesar de aproveitar para dormir que nem uma pedra). Mas ninguém ligou...

Quando fui buscá-lo na casa da vovó ele estava comendo sua frutinha vespertina. É claro que ele iria largar tudo e correr para os meus braços...

Que nada, ele falou: Ei mamãe! E continuou comendo sua fruta normalmente!!!


Pelo menos, quando chegou a noite ele pediu para mamar e dormimos juntinho como todos os outros dias...

Estão vendo, ele ainda precisa de mim!!! rsrsrsrs



terça-feira, 15 de novembro de 2011

Hummm que gostoso!

O gostosuro agora está cheio de manias e vontades. Uma delas é a mania do "Toso!" (leia-se: gostoso!).

Quando está tomando agua, suco, iogurte, não quer mais o copinho com a tampa. Quer experimentar num copo normal, quase não fazendo muita lambança. Acreditei nisso! E não basta só tomar o liquido no copo tem também que enfiar o dedinho dentro, lambusá-lo e colocar na boca só para dizer: "Hummm, toso!"

E isso se repete também com comidas sólidas, chinelo e o que mais a sua imaginação inventar e o problema está justamente aí, na danada da imaginação!!

Estava eu escovando os dentes e vigiando o danadinho do menino para não levantar a tampa da privada, quando por um descuido ele conseguiu levantar a tampa e mais que imediatamente molhou o seu dedinho dentro daquele líquido mágico que fica tão bem escondido. E, mais rápido do que eu pudesse chegar perto ele enfiou o dedinho na boca e disse: "Hummmm, toso!!!"


EEEEEEECCCCAAAAAA!!!!!


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Bumbum de fora!

O menininho agora inventou uma nova moda: A moda do peladão!

Pois é, agora ele resolveu ficar mais à vontade em casa. Se a fralda começar a pesar mais um pouquinho (pelo excesso de xixi) ele vai logo pedindo para tirar e sai correndo peladão pela casa. Aí não tem mais ninguém que consiga colocar a roupa de volta no menino.

Bom, nesse calorão não tem nada melhor não é mesmo? O problema é que, quando dá aquela vontade de fazer xixi ele simplesmente se abaixa e faz onde está. Depois pega qualquer pano que estiver por perto (fralda, camisa, calça...) e vai enxugar o xixi (ainda bem que ele não inventou de fazer o número 2! rsrs).

Não sei se ele já está preparado para o desfralde, mas vamos comprar um peniquinho para ele ir se familiarizando com a coisa.

Só tem uma coisa que faz o danadinho deixar colocar a roupa. É só falar a palavrinha mágica PASSEAR que mais do que depressa ele corre para o quarto e espera eu arruma-lo. Corre para o portão da escada esperando o tal passeio.

Falando em passeio, ele adora o vovô, que ele chama de Almiê. Não pode ver o vovô que ele corre para o seu colo e fala: Almiê, passiá!!!! E saem os dois, felizes da vida pelo bairro afora em seu passeio matinal, almoçal, vespertino, noturno...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Meeeeeedo de médico!



O José Guilherme tem apresentado um comportamento que está me preocupando: É o medo, medo não, pânico de médico.
Ontem fomos ao alergista e, ao chegar ao consultório, ele já se agarrou à porta. Quando o médico olhou para ele, correu e se agarrou nas minhas pernas. Nem os brinquedos que tem no consultório e que ele adorava ele quis saber. Na hora do exame, que é olhar o ouvido e o nariz com uma lanterna ele simplesmente entrou em pânico, se agarrou ao meu pescoço, chorava copiosamente, tremendo todo. O médico tentou ser simpático, mostrou o aparelho, explicou como funciona, testou na mamãe, foi solicito e não adiantou nada. O Alexandre teve que tirá-lo do consultório para que eu pudesse ouvir as orientações do médico quanto à medicação e o José Guilherme só se acalmou de verdade quando ele viu que estávamos fora do prédio.
Quando ele tinha mais ou menos um ano e quatro meses, tivemos um período de “excussões” à emergência do hospital neste período ele teve várias crises alérgicas, uma gastrenterite que o deixou desidratado, necessitando de ficar em observação por uma tarde inteira. Não precisou tomar soro na veia, mas viu várias crianças chorando por estarem tomando injeção. Junte-se a isso um dia que precisamos fazer um exame de sangue e a enfermeira furou o braço dele três vezes pois não achava a veia, além de ficar “passeando” com a agulha no braço do menino.
Nunca tivemos nenhum problema com consultas médicas, porém, percebo que desde os episódios acima ele tem mudado o comportamento, porém ontem foi o mais “tenso”.
Temos em casa uma revista onde tem a história de um elefantinho que vai ao médico e sempre que vou contar a historinha, ele pega a revista e joga longe! Não sei mais o que fazer para ajudá-lo nesse processo de aceitação do povo que usa o jaleco branco!

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Minha estréia...

Ontem foi a minha estréia como voluntária do Projeto CineMaterna. Para quem não conhece, o “CineMaterna são sessões de cinema para mães com bebês de até 18 meses. Papais e acompanhantes são bem-vindos também! Os filmes são para a diversão dos adultos, e as salas de cinema são equipadas para acolher os bebês com todo o conforto: som reduzido, trocador na sala, ar condicionado mais suave, ambiente levemente iluminado. E depois de cada sessão sempre tem um gostoso bate-papo!
As sessões acontecem em diversas cidades do Brasil. Cada filme é escolhido pelo público através de enquetes semanais, que podem ser acompanhadas pelo site junto com a programação.” (fonte: www.cinematerna.org.br)

Então, desde outubro de 2010, quando o projeto iniciou aqui em Vitória eu participei de quase todas as sessões. Mas agora que o José Guilherme já fez 18 meses, ficou mais difícil assistir ao filme, já que ele não para um minuto sequer na sala de cinema. Desta forma, achei que era mais do que justo dar a minha contribuição para o projeto que tão bem me acolheu e agora ajudar a acolher outras mamães.

No mês passado a nova equipe do Cinematerna Vitória passou por um treinamento junto com a  Irene Nagashima, que veio de São Paulo para nos receber e orientar, mas neste mês foi a nossa prova de foto, tivemos nossa primeira sessão "solo" e tudo deu super certo!

O filme foi ótimo e melhor ainda foi o bate papo após a sessão que nos oportunizou conhecer novas mamães super simpaticas com a sua mulherada (não foi nenhum bebezinho menino! rsrs).

Pois é, estou com todo o gas! Não quero perder mais nenhuma cessão!!! rsrs



No fundo eu e a Aline com algumas mamães que participaram da sessão. A Penélope está tirando a foto e a Alice desta vez não pôde comparecer!



terça-feira, 1 de novembro de 2011

Menininho antenado!


No último sábado o José Guilherme participou de seu primeiro show! Pois é, ele foi ver a estonteante "Galinha Pintadinha". O espetáculo estava lotado e nós só conseguimos ficar no final do teatro (clube) o que causou uma danada dor nas costas dos papais que tiveram que segurar o menininho no colo durante as quase duas horas de show para que não perdesse nenhum momentinho sequer.


Papai babão e menininho vendo o espetáculo
Na verdade ainda não sei quem é que curtiu mais o show, se foi o menininho ou se foi o pai dele, pois os dois não paravam nenhum minuto de cantar e dançar, com todas as músicas. (risos). De qualquer forma adorei ver o meu menininho prestando atenção em tudo e curtindo bastante, não achei que ele iria aproveitar tanto!


Bom, esse menininho está ficando mais antenado do que os papais. Já foi proporcionalmente a mais vezes ao cinema do que eu; me levou para assistir o meu primeiro filme em 3D; já foi ao Circo; aos vários parques de Vitória... agora só está faltando nos levar a um forrozinho, de preferência em Itaúnas, pois estou morrendo de saudades. O que você acha ein menininho, vai rolar? rsrsrs



Mamãe e menininho gostosuro!



Dindinha, Papai e Vovó babões!