quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Por que? Porque? Porquê?...

Sempre esperei com bastante ansiedade cada fase do meu gurizim: o primeiro sorriso, a primeira papinha, os dentinhos, a birra... mas confesso que tem uma fase que se eu pudesse eu passaria batida: a fase dos "Porques".
 
Começa assim, devagarinho e bem engraçadinho, mas quando você vê, qualquer coisa é motivo para te sabatinhar até você não ter mais fôlego, nem imaginação, nem paciencia para responder tantas perguntas. Às vezes, tenho a impressão que o danadinho do menino está perguntando só por que não tem nada mais interessante a fazer do que ver a mãe com cara de tacho! E aí a conversa termina com a fatídica pergunta: "porque você não sabe porquê mamãe?" e você responte: "Porque eu não sei!" E aí você pensa que acabou, mas ainda virão mais um zilhão de: "Mas por que você diz não sei?" e você coloca tudo aquilo que aprendeu nos livros, nos grupos de discussão, na sua ótima teoria de mãe abaixo e solta um: "Ai menino, vai brincar por que eu já cansei de responder!" rsrs

É claro que tenho consciência que essa é uma fase muito importante para o desenvolvimento intelectual, cognitivo, socioafetivo... do meninim e é por isso que tento responder sempre com a maior calma cada uma de suas perguntas. Mas confesso que, às vezes, aproveito a paciência mor e a técnica mágica do papai para tomar frente da perguntação, afinal, só mesmo o pai para conseguir sanar todas as duvidas de um meninim afoito por conhecimento. Com o papai bastam apenas um ou dois porques para conseguir entender tudinho e não ter mais duvida alguma.

Hoje tivemos mais um momento de papo cabeça entre pai e filho:
 
Meninim: - Papai, quero ver o peixinho... por que ele está sozinho?
Papai: - Por que é um Beta e ele só gosta de ficar sozinho!
Meninim: - Mas por que ele só gosta de ficar sozinho?
Papai: - É por que ele é da familia anabantidae onde os machos são muito agressivos e territorialistas e não conseguem conviver juntos num mesmo aquario. Quando isso acontece, eles começam a brigar entre sí e se machucam. Para evitar que isso aconteça, os criadores de peixes de aquario evitam colocar mais de um peixe desta especie no mesmo aquario...
E aí o meninim saiu de perto, sem perguntar mais nadinha e eu nem imagino por quê! rsrsrs
 
E assim vamos seguindo nossos dias: Tentando manter o máximo de paciência que uma mãe a beira de um ataque histérico zem budista pode ter, entoando o mantra do nosso saldoso Nelson Ned que diz: "Mas tudo passa, tudo passará..." tentando lembrar que,  daqui a pouquinho, vou ficar morrendo de saudades dessa fase interesseira por tudo que cerca a vida do meninim mais gostoso do mundo todinho!

Nenhum comentário:

Postar um comentário